Compre pelo telefone
(31) 3270-5000
0300 313 1010

Galvus Met 50/850mg com 56 Comprimidos

07896261016255
Galvus Met 50/850mg com 56 Comprimidos
Por: R$ 194,98ou
3x de R$ 64,99
sem juros
ComprarVendedor Araujo
+ Saiba Mais

GRP_INTEGRACAO

Possui Venda PermitidaS
Informe Ministério Saúde 02-
Informe Ministério Saúde 04-
Informe Ministério Saúde 05-
Informe Ministério Saúde 08-
Informe Ministério Saúde 09-
Informe Ministério Saúde 01"VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA."
Informe Ministério Saúde 03-
Informe Ministério Saúde 06-
Informe Ministério Saúde 07-
Informe Ministério Saúde 10-
Princípio AtivoVILDAGLIPTINA + CLORIDRATO DE METFORMINA

Característica

ClassificaçãoProduto Referência
FabricanteNovartis
Indicação

ComposiçãoVILDAGLIPTINA (50MG) + CLORIDRATO DE METFORMINA (850MG)
Contraindicação

RMS1.006.810.590.160

Saiba Mais

Saiba Mais

GALVUS MET
Vildagliptina + Cloridrato de Metformina.

APRESENTAÇÕES:
Comprimidos revestidos.

Galvus Met 50 mg/500 mg, 50 mg/850 mg ou 50 mg/1.000 mg – embalagens contendo 14 ou 56 comprimidos revestidos.

VIA ORAL.
USO ADULTO.

COMPOSIÇÃO:
Cada comprimido contém 50 mg de vildagliptina e 500 mg de cloridrato de metformina.
Excipientes: hiprolose, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de titânio, macrogol, talco, óxido férrico amarelo e óxido férrico vermelho.

Cada comprimido contém 50 mg de vildagliptina e 850 mg de cloridrato de metformina.
Excipientes: hiprolose, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de titânio, macrogol, talco e óxido férrico amarelo.

Cada comprimido contém 50 mg de vildagliptina e 1.000 mg de cloridrato de metformina.
Excipientes: hiprolose, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de titânio, macrogol, talco e óxido férrico amarelo.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE.
1. PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?


Galvus Met está disponível em comprimidos. Cada comprimido de Galvus Met contém duas substâncias ativas: a vildagliptina e o cloridrato de metformina. Ambas as substâncias pertencem ao grupo de medicamentos conhecidos como “antidiabéticos orais”.

Há três concentrações disponíveis (vildagliptina/cloridrato de metformina): 50 mg/500 mg, 50 mg/850 mg e 50 mg/1.000 mg.

Galvus Met é um medicamento utilizado para o tratamento do diabetes mellitus tipo 2. Ele é prescrito junto com a dieta e o exercício em pacientes já tratados com vildagliptina e cloridrato de metformina em comprimidos separados ou para aqueles pacientes cujo diabetes mellitus tipo 2 não esteja adequadamente controlado com cloridrato de metformina ou vildagliptina em monoterapia, ou como primeiro tratamento para diabetes em pacientes quando esta não é adequadamente controlada apenas com dieta e exercício físico, desde que os pacientes apresentem hiperglicemia moderada a grave (HbA1c acima de 7,6%).

Galvus Met ajuda a reduzir os níveis sanguíneos de açúcar e por isso também é um antidiabético oral.

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O diabetes mellitus tipo 2 desenvolve-se quando o corpo não produz quantidade suficiente de insulina ou quando a insulina produzida pelo corpo não funciona adequadamente. Também pode se desenvolver se o corpo produz muito glucagon.

A insulina é uma substância que ajuda a diminuir o nível sanguíneo de açúcar, especialmente após a alimentação. O glucagon é uma substância que induz a produção de açúcar pelo fígado causando o aumento do açúcar sanguíneo. Tanto o glucagon quanto a insulina são produzidos pelo pâncreas.

Galvus Met atua fazendo o pâncreas produzir mais insulina e menos glucagon (efeito da vildagliptina) e também ajudando o corpo a utilizar melhor a insulina que produz (efeito do cloridrato de metformina). Galvus Met ajuda a controlar os níveis sanguíneos de açúcar.

É importante que você continue a seguir a dieta e/ou exercícios indicados a você enquanto estiver sob tratamento com Galvus Met.

Se você tiver alguma dúvida sobre o porquê desse medicamento ter sido indicado a você, pergunte ao seu médico.

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Siga cuidadosamente todas as instruções dadas a você pelo seu médico mesmo se forem diferentes das informações contidas nessa bula.

Não tome Galvus Met:

Se você for alérgico (hipersensível) à vildagliptina, ao cloridrato de metformina ou a qualquer outro excipiente de Galvus Met.

Se você tem problemas nos rins.

Se você teve recentemente um ataque do coração, tem insuficiência cardíaca ou tem problemas circulatórios graves, incluindo choque ou dificuldades respiratórias.

Se você tem ou teve complicações sérias com o seu diabetes, como cetoacidose diabética (uma complicação do diabetes envolvendo perda rápida de peso, náusea ou vômito) ou coma diabético.

Se você for submetido a exames radiológicos com o uso de contraste (um tipo específico de exame radiológico envolvendo o uso de contraste injetável). Você deverá interromper temporariamente o tratamento com Galvus Met no dia e nos próximos dias que se seguem à realização deste procedimento.

Este medicamento é contraindicado para menores de 18 anos.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados especiais com Galvus MetTM:

Galvus Met não é um substituto da insulina. Você não deve, portanto, receber Galvus Met para o tratamento do diabetes mellitus tipo 1 (ou seja, quando seu corpo não produz insulina) nem para o tratamento de uma condição chamada cetoacidose diabética.

Se você sentir um ou mais dos seguintes sintomas: frio e desconforto, dor muscular, sonolência, náusea ou vômito grave, dor abdominal, tontura, batimento cardíaco irregular (palpitação) ou respiração acelerada. Muito raramente, pacientes tomando metformina (uma das substâncias ativas de Galvus Met) podem desenvolver uma condição chamada acidose lática (muito ácido lático no sangue). Isso é mais comum ocorrer em pacientes cujos rins não estão funcionando adequadamente.

Se você sentir náusea, sudorese, fraqueza, tontura, tremor ou dor de cabeça, que são sinais de nível de açúcar sanguíneo (glicose) baixo e que podem ocorrer devido à falta de comida, exercício físico vigoroso sem ingestão de comida ou pela ingestão excessiva de álcool (geralmente, não ocorre com o uso isolado de Galvus Met).

Se você sentir algum desses sintomas, pare de tomar Galvus Met e consulte um médico imediatamente.

Se você for submetido a uma operação sob anestesia geral. Você pode precisar parar de tomar Galvus Met por alguns dias, antes e depois do procedimento.

Se você toma álcool excessivamente, tanto todos os dias quanto somente esporadicamente.

Se você tem doença no fígado.

Se o controle do seu nível de açúcar sanguíneo piorar repentinamente, se você apresentar testes sanguíneos anormais ou se sentir doente, contate seu médico.

Se qualquer uma das condições acima se aplicar a você, fale com o seu médico.

Monitorando seu tratamento com Galvus Met:

Seu médico deve assegurar que os seguintes testes sejam realizados:

Testar regularmente açúcar no sangue e na urina.
Checar a função dos seus rins:

• No início do tratamento;
• Ao menos uma vez ao ano enquanto você estiver em tratamento;
• Mais frequentemente se você for idoso.

Checar a função do seu fígado:

• No início do tratamento;
• A cada 3 meses durante o primeiro ano de tratamento e regularmente após este período;
• Se o médico solicitar a você para parar o tratamento por causa de problemas no fígado, você não deverá iniciar o tratamento com Galvus Met novamente.

Teste sanguíneo pelo menos uma vez ao ano.
Pode-se realizar uma checagem dos níveis de vitamina B12 pelo menos a cada dois ou três anos.

Tomando Galvus MetTM durante a refeição:

É recomendado que você tome seus comprimidos de Galvus Met com ou logo após as refeições. Isso reduzirá as chances de sentir desconforto no estômago.

Galvus MetTM e idosos:

Galvus MetTM deve somente ser utilizado em pacientes idosos se eles não tiverem nenhum problema nos rins. Se você for idoso, seu médico checará a função dos seus rins várias vezes ao ano.

Galvus MetTM e crianças:

Não há informações disponíveis sobre o uso de Galvus Met em crianças (menores de 18 anos). O uso de Galvus Met nesses pacientes não é, portanto, recomendado.

Grávidas:

Avise o seu médico se você está, acha que está ou esteja planejando ficar grávida. Seu médico discutirá com você o risco potencial de tomar Galvus Met durante a gravidez.

Peça auxílio ao seu médico antes de tomar qualquer medicamento durante a gravidez.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Mulheres amamentando:

Não amamente durante o tratamento com Galvus Met.

Peça auxílio ao seu médico antes de tomar qualquer medicamento durante a amamentação.

Dirigindo e/ou operando máquinas:

Se você sentir tontura enquanto estiver tomando Galvus Met, não dirija veículos e/ou utilize qualquer ferramenta e/ou opere máquinas até que você se sinta normal.

Tomando outros medicamentos:

Avise o seu médico se você está tomando ou tomou qualquer outro medicamento recentemente. Lembre-se também daqueles que não foram prescritos por um médico. Isso é particularmente importante com os seguintes medicamentos:

Certos medicamentos utilizados para tratar infecções (p.ex. vancomicina, trimetoprima).
Certos medicamentos utilizados para tratar inflamações (p.ex. corticosteroides).
Certos medicamentos utilizados para tratar pressão alta (p.ex. amilorida, triantereno, nifedipino, diuréticos).
Certos medicamentos utilizados para tratar batimentos cardíacos irregulares (p.ex. digoxina, quinidina).
Certos medicamentos utilizados para reduzir a dor (p.ex. morfina).
Certos medicamentos utilizados para tratar distúrbios no estômago (p.ex. cimetidina, ranitidina).
Certos medicamentos utilizados para tratar alguns distúrbios psiquiátricos (p.ex. fenotiazina).
Certos medicamentos utilizados para tratar distúrbios da tireoide.
Contraceptivos orais, certos medicamentos utilizados para reduzir os sintomas de mulheres na menopausa ou osteoporose (p.ex. estrogênio).
A hipoglicemia pode ser difícil de reconhecer em idosos e em pessoas tomando fármacos betabloqueadores adrenérgicos.

Não beba álcool excessivamente ou tome medicamentos que contenham álcool enquanto estiver tomando Galvus Met.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use este medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Mantenha Galvus Met em temperatura ambiente (entre 15 e 30 °C). Proteger da umidade.
Não use após a data de validade indicada na caixa.
Mantenha na sua embalagem original.
Não utilize nenhuma caixa de Galvus Met que esteja danificada ou que mostre sinais de adulteração.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Aspecto físico:

Galvus Met de 50 mg/500 mg é amarelo claro e oval.
Galvus Met de 50 mg/850 mg é amarelo e oval.
Galvus Met de 50 mg/1.000 mg é amarelo escuro e oval.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Siga cuidadosamente todas as instruções dadas a você pelo seu médico mesmo se forem diferentes das informações contidas nessa bula. Não tome mais Galvus Met do que o seu médico prescreveu.

Quanto tomar:

Seu médico falará exatamente quantos comprimidos de Galvus Met tomar.

A dose usual é um ou dois comprimidos de Galvus Met ao dia. Não exceder dois comprimidos ao dia.

Dependendo da sua resposta ao tratamento, seu médico poderá sugerir uma dose maior ou menor.

Quando e como tomar Galvus Met

Galvus Met deve ser tomado pela manhã e/ou à noite. É recomendável que você tome seus comprimidos com ou logo após as refeições. Isso reduzirá as chances de você sentir desconforto no estômago.

Os comprimidos devem ser engolidos inteiros com um copo de água.

Por quanto tempo tomar Galvus Met

Continue tomando Galvus Met todos os dias por quanto tempo o seu médico disser para fazê-lo. Você pode continuar nesse tratamento por um longo período de tempo. O seu médico monitorará regularmente sua condição para checar se o tratamento está surtindo o efeito desejável.

Não pare de tomar Galvus Met a menos que o seu médico diga para fazê-lo.

Se o médico solicitar a você para parar o tratamento por causa de problemas no fígado, você não deverá iniciar o tratamento com Galvus Met novamente.

Se você tiver dúvida sobre quanto tempo tomar Galvus Met, fale com o seu médico.

A duração do tratamento é conforme orientação médica.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer de tomar Galvus Met.

É aconselhável tomar seu medicamento no mesmo horário todos os dias. Se você esquecer de tomar Galvus Met, tome-o assim que se lembrar e tome a sua próxima dose no horário usual. Entretanto, se está quase no horário da próxima dose, não tome a dose esquecida. Não tome uma dose dobrada para compensar o comprimido esquecido.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Galvus Met pode apresentar algumas reações adversas em algumas pessoas. Alguns pacientes têm apresentado as seguintes reações adversas enquanto tomavam Galvus Met:

Algumas reações adversas podem ser graves:

Você deve parar de tomar Galvus Met e ir ao seu médico imediatamente se você sente os seguintes sintomas:

Frio, desconforto, dor muscular, sonolência, náusea ou vômito grave, dor abdominal, perda de peso inexplicável, tontura, batimento cardíaco irregular (palpitação) ou respiração ofegante (sintomas de acidose lática).

Rosto, língua ou garganta inchados, dificuldade de engolir, dificuldade de respiração, início repentino de lesões de pele ou urticária (sintomas de reações alérgicas graves chamadas “angioedema”).

Pele e olhos amarelados, náusea, perda de apetite ou urina escura com pouca coloração (possíveis sintomas de problemas hepáticos).

Dor de forte intensidade na região superior do abdome (sinal de possível inflamação no pâncreas).

Se você sentir qualquer um desses sintomas, fale com o seu médico imediatamente.

Algumas reações adversas muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Náusea, vômito, diarreia, dor abdominal, perda de apetite.

Se você sentir estes sintomas gravemente, informe o seu médico.

Algumas reações adversas comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Tontura, constipação, dor nas juntas, dor de cabeça, tremor involuntário, gosto metálico.

Se alguma dessas condições afetar você gravemente, fale com o seu médico.

Algumas reações adversas são incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Constipação, mãos, tornozelo ou pés inchados (edema).

Se algum destes sintomas afetar você gravemente, informe o seu médico.

Algumas reações adversas muito raras (ocorrem em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Vermelhidão na pele, coceira, diminuição no nível sanguíneo de vitamina B12, resultados anormais em alguns testes hepáticos.

Se alguma dessas condições afetar você gravemente, fale com o seu médico.

Outros efeitos colaterais

Prurido, descamação localizada da pele ou bolhas.

Se alguma dessas condições afetar você gravemente, fale com o seu médico.

Se você notar qualquer outra reação adversa não mencionada nessa bula, por favor, informe ao seu médico.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversas imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se você tomar acidentalmente muitos comprimidos ou se outra pessoa tomar o seu medicamento, fale com o seu médico imediatamente. Você pode precisar de cuidados médicos. Se possível, mostre ao médico o medicamento.

Sinais e sintomas:
Vildagliptina.

Em voluntários sadios (7 de 14 voluntários por grupo de tratamento), a vildagliptina foi administrada em doses únicas diárias de 25, 50, 100, 200, 400 e 600 mg por até 10 dias consecutivos. Doses de até 200 mg foram bem toleradas. Com 400 mg/dia, houve três casos de dor muscular e casos isolados de alteração de sensibilidade leve e transitória, febre, inchaço e aumento transitório nos níveis de lipase (2x ULN) que é uma enzima pancreática. Com 600 mg, um voluntário apresentou inchaço nos pés e mãos e aumento excessivo nos níveis de creatinina fosfoquinase (CPK) uma enzima muscular, acompanhado pela elevação da aspartato aminotransferase (AST) uma enzima hepática, proteína C-reativa e mioglobina. Nesse grupo, três voluntários adicionais apresentaram inchaço de ambos os pés, acompanhado de alteração de sensibilidade em dois casos. Todos os sintomas e anormalidades laboratoriais foram resolvidos após a descontinuação do fármaco estudado.

A vildagliptina não é removida por diálise, entretanto, o principal metabólito de hidrólise (LAY151) pode ser removido por hemodiálise.

Cloridrato de Metformina.

A superdose com o cloridrato de metformina tem ocorrido, incluindo a ingestão de quantidades maiores que 50 gramas. A hipoglicemia foi reportada em aproximadamente 10% dos casos, mas não foi estabelecida associação causal com o cloridrato de metformina. A acidose lática foi relatada em aproximadamente 32% dos casos de superdose com o cloridrato de metformina. O cloridrato de metformina é removido por diálise com uma depuração de até 170 mL/min sob boas condições hemodinâmicas. Dessa forma, a hemodiálise pode ser útil para a remoção do fármaco acumulado do paciente no qual se suspeita de superdose de cloridrato de metformina.

No caso de superdose, deve-se iniciar um tratamento de suporte apropriado de acordo com os sinais e sintomas clínicos do paciente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

MS – 1.0068.1059
Farm. Resp.: Virginia da Silva Giraldi - CRF-SP 15.779

Importado por:
Novartis Biociências S.A.
Av. Prof. Vicente Rao, 90 - São Paulo – SP

CNPJ: 56.994.502/0001-30
Indústria Brasileira.

Fabricado por: Novartis Pharma Stein AG, Stein, Suíça.
Embalado por: Novartis Pharma Stein AG, Stein, Suíça ou Konapharma AG, Pratteln, Suíça.

Venda sob prescrição médica.
TM = Marca depositada em nome de Novartis AG, Basileia, Suíça.

BPL 10.12.12.

2012-PSB/GLC-0593-s.

VP6
Esta bula foi aprovada pela Anvisa em 26/02/2013

 

GRP_INTEGRACAO

Possui Venda PermitidaS
Informe Ministério Saúde 02-
Informe Ministério Saúde 04-
Informe Ministério Saúde 05-
Informe Ministério Saúde 08-
Informe Ministério Saúde 09-
Informe Ministério Saúde 01"VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA."
Informe Ministério Saúde 03-
Informe Ministério Saúde 06-
Informe Ministério Saúde 07-
Informe Ministério Saúde 10-
Princípio AtivoVILDAGLIPTINA + CLORIDRATO DE METFORMINA

Característica

ClassificaçãoProduto Referência
FabricanteNovartis
Indicação

ComposiçãoVILDAGLIPTINA (50MG) + CLORIDRATO DE METFORMINA (850MG)
Contraindicação

RMS1.006.810.590.160

Saiba Mais

Saiba Mais

GALVUS MET
Vildagliptina + Cloridrato de Metformina.

APRESENTAÇÕES:
Comprimidos revestidos.

Galvus Met 50 mg/500 mg, 50 mg/850 mg ou 50 mg/1.000 mg – embalagens contendo 14 ou 56 comprimidos revestidos.

VIA ORAL.
USO ADULTO.

COMPOSIÇÃO:
Cada comprimido contém 50 mg de vildagliptina e 500 mg de cloridrato de metformina.
Excipientes: hiprolose, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de titânio, macrogol, talco, óxido férrico amarelo e óxido férrico vermelho.

Cada comprimido contém 50 mg de vildagliptina e 850 mg de cloridrato de metformina.
Excipientes: hiprolose, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de titânio, macrogol, talco e óxido férrico amarelo.

Cada comprimido contém 50 mg de vildagliptina e 1.000 mg de cloridrato de metformina.
Excipientes: hiprolose, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de titânio, macrogol, talco e óxido férrico amarelo.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE.
1. PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?


Galvus Met está disponível em comprimidos. Cada comprimido de Galvus Met contém duas substâncias ativas: a vildagliptina e o cloridrato de metformina. Ambas as substâncias pertencem ao grupo de medicamentos conhecidos como “antidiabéticos orais”.

Há três concentrações disponíveis (vildagliptina/cloridrato de metformina): 50 mg/500 mg, 50 mg/850 mg e 50 mg/1.000 mg.

Galvus Met é um medicamento utilizado para o tratamento do diabetes mellitus tipo 2. Ele é prescrito junto com a dieta e o exercício em pacientes já tratados com vildagliptina e cloridrato de metformina em comprimidos separados ou para aqueles pacientes cujo diabetes mellitus tipo 2 não esteja adequadamente controlado com cloridrato de metformina ou vildagliptina em monoterapia, ou como primeiro tratamento para diabetes em pacientes quando esta não é adequadamente controlada apenas com dieta e exercício físico, desde que os pacientes apresentem hiperglicemia moderada a grave (HbA1c acima de 7,6%).

Galvus Met ajuda a reduzir os níveis sanguíneos de açúcar e por isso também é um antidiabético oral.

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O diabetes mellitus tipo 2 desenvolve-se quando o corpo não produz quantidade suficiente de insulina ou quando a insulina produzida pelo corpo não funciona adequadamente. Também pode se desenvolver se o corpo produz muito glucagon.

A insulina é uma substância que ajuda a diminuir o nível sanguíneo de açúcar, especialmente após a alimentação. O glucagon é uma substância que induz a produção de açúcar pelo fígado causando o aumento do açúcar sanguíneo. Tanto o glucagon quanto a insulina são produzidos pelo pâncreas.

Galvus Met atua fazendo o pâncreas produzir mais insulina e menos glucagon (efeito da vildagliptina) e também ajudando o corpo a utilizar melhor a insulina que produz (efeito do cloridrato de metformina). Galvus Met ajuda a controlar os níveis sanguíneos de açúcar.

É importante que você continue a seguir a dieta e/ou exercícios indicados a você enquanto estiver sob tratamento com Galvus Met.

Se você tiver alguma dúvida sobre o porquê desse medicamento ter sido indicado a você, pergunte ao seu médico.

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Siga cuidadosamente todas as instruções dadas a você pelo seu médico mesmo se forem diferentes das informações contidas nessa bula.

Não tome Galvus Met:

Se você for alérgico (hipersensível) à vildagliptina, ao cloridrato de metformina ou a qualquer outro excipiente de Galvus Met.

Se você tem problemas nos rins.

Se você teve recentemente um ataque do coração, tem insuficiência cardíaca ou tem problemas circulatórios graves, incluindo choque ou dificuldades respiratórias.

Se você tem ou teve complicações sérias com o seu diabetes, como cetoacidose diabética (uma complicação do diabetes envolvendo perda rápida de peso, náusea ou vômito) ou coma diabético.

Se você for submetido a exames radiológicos com o uso de contraste (um tipo específico de exame radiológico envolvendo o uso de contraste injetável). Você deverá interromper temporariamente o tratamento com Galvus Met no dia e nos próximos dias que se seguem à realização deste procedimento.

Este medicamento é contraindicado para menores de 18 anos.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados especiais com Galvus MetTM:

Galvus Met não é um substituto da insulina. Você não deve, portanto, receber Galvus Met para o tratamento do diabetes mellitus tipo 1 (ou seja, quando seu corpo não produz insulina) nem para o tratamento de uma condição chamada cetoacidose diabética.

Se você sentir um ou mais dos seguintes sintomas: frio e desconforto, dor muscular, sonolência, náusea ou vômito grave, dor abdominal, tontura, batimento cardíaco irregular (palpitação) ou respiração acelerada. Muito raramente, pacientes tomando metformina (uma das substâncias ativas de Galvus Met) podem desenvolver uma condição chamada acidose lática (muito ácido lático no sangue). Isso é mais comum ocorrer em pacientes cujos rins não estão funcionando adequadamente.

Se você sentir náusea, sudorese, fraqueza, tontura, tremor ou dor de cabeça, que são sinais de nível de açúcar sanguíneo (glicose) baixo e que podem ocorrer devido à falta de comida, exercício físico vigoroso sem ingestão de comida ou pela ingestão excessiva de álcool (geralmente, não ocorre com o uso isolado de Galvus Met).

Se você sentir algum desses sintomas, pare de tomar Galvus Met e consulte um médico imediatamente.

Se você for submetido a uma operação sob anestesia geral. Você pode precisar parar de tomar Galvus Met por alguns dias, antes e depois do procedimento.

Se você toma álcool excessivamente, tanto todos os dias quanto somente esporadicamente.

Se você tem doença no fígado.

Se o controle do seu nível de açúcar sanguíneo piorar repentinamente, se você apresentar testes sanguíneos anormais ou se sentir doente, contate seu médico.

Se qualquer uma das condições acima se aplicar a você, fale com o seu médico.

Monitorando seu tratamento com Galvus Met:

Seu médico deve assegurar que os seguintes testes sejam realizados:

Testar regularmente açúcar no sangue e na urina.
Checar a função dos seus rins:

• No início do tratamento;
• Ao menos uma vez ao ano enquanto você estiver em tratamento;
• Mais frequentemente se você for idoso.

Checar a função do seu fígado:

• No início do tratamento;
• A cada 3 meses durante o primeiro ano de tratamento e regularmente após este período;
• Se o médico solicitar a você para parar o tratamento por causa de problemas no fígado, você não deverá iniciar o tratamento com Galvus Met novamente.

Teste sanguíneo pelo menos uma vez ao ano.
Pode-se realizar uma checagem dos níveis de vitamina B12 pelo menos a cada dois ou três anos.

Tomando Galvus MetTM durante a refeição:

É recomendado que você tome seus comprimidos de Galvus Met com ou logo após as refeições. Isso reduzirá as chances de sentir desconforto no estômago.

Galvus MetTM e idosos:

Galvus MetTM deve somente ser utilizado em pacientes idosos se eles não tiverem nenhum problema nos rins. Se você for idoso, seu médico checará a função dos seus rins várias vezes ao ano.

Galvus MetTM e crianças:

Não há informações disponíveis sobre o uso de Galvus Met em crianças (menores de 18 anos). O uso de Galvus Met nesses pacientes não é, portanto, recomendado.

Grávidas:

Avise o seu médico se você está, acha que está ou esteja planejando ficar grávida. Seu médico discutirá com você o risco potencial de tomar Galvus Met durante a gravidez.

Peça auxílio ao seu médico antes de tomar qualquer medicamento durante a gravidez.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Mulheres amamentando:

Não amamente durante o tratamento com Galvus Met.

Peça auxílio ao seu médico antes de tomar qualquer medicamento durante a amamentação.

Dirigindo e/ou operando máquinas:

Se você sentir tontura enquanto estiver tomando Galvus Met, não dirija veículos e/ou utilize qualquer ferramenta e/ou opere máquinas até que você se sinta normal.

Tomando outros medicamentos:

Avise o seu médico se você está tomando ou tomou qualquer outro medicamento recentemente. Lembre-se também daqueles que não foram prescritos por um médico. Isso é particularmente importante com os seguintes medicamentos:

Certos medicamentos utilizados para tratar infecções (p.ex. vancomicina, trimetoprima).
Certos medicamentos utilizados para tratar inflamações (p.ex. corticosteroides).
Certos medicamentos utilizados para tratar pressão alta (p.ex. amilorida, triantereno, nifedipino, diuréticos).
Certos medicamentos utilizados para tratar batimentos cardíacos irregulares (p.ex. digoxina, quinidina).
Certos medicamentos utilizados para reduzir a dor (p.ex. morfina).
Certos medicamentos utilizados para tratar distúrbios no estômago (p.ex. cimetidina, ranitidina).
Certos medicamentos utilizados para tratar alguns distúrbios psiquiátricos (p.ex. fenotiazina).
Certos medicamentos utilizados para tratar distúrbios da tireoide.
Contraceptivos orais, certos medicamentos utilizados para reduzir os sintomas de mulheres na menopausa ou osteoporose (p.ex. estrogênio).
A hipoglicemia pode ser difícil de reconhecer em idosos e em pessoas tomando fármacos betabloqueadores adrenérgicos.

Não beba álcool excessivamente ou tome medicamentos que contenham álcool enquanto estiver tomando Galvus Met.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use este medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Mantenha Galvus Met em temperatura ambiente (entre 15 e 30 °C). Proteger da umidade.
Não use após a data de validade indicada na caixa.
Mantenha na sua embalagem original.
Não utilize nenhuma caixa de Galvus Met que esteja danificada ou que mostre sinais de adulteração.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Aspecto físico:

Galvus Met de 50 mg/500 mg é amarelo claro e oval.
Galvus Met de 50 mg/850 mg é amarelo e oval.
Galvus Met de 50 mg/1.000 mg é amarelo escuro e oval.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Siga cuidadosamente todas as instruções dadas a você pelo seu médico mesmo se forem diferentes das informações contidas nessa bula. Não tome mais Galvus Met do que o seu médico prescreveu.

Quanto tomar:

Seu médico falará exatamente quantos comprimidos de Galvus Met tomar.

A dose usual é um ou dois comprimidos de Galvus Met ao dia. Não exceder dois comprimidos ao dia.

Dependendo da sua resposta ao tratamento, seu médico poderá sugerir uma dose maior ou menor.

Quando e como tomar Galvus Met

Galvus Met deve ser tomado pela manhã e/ou à noite. É recomendável que você tome seus comprimidos com ou logo após as refeições. Isso reduzirá as chances de você sentir desconforto no estômago.

Os comprimidos devem ser engolidos inteiros com um copo de água.

Por quanto tempo tomar Galvus Met

Continue tomando Galvus Met todos os dias por quanto tempo o seu médico disser para fazê-lo. Você pode continuar nesse tratamento por um longo período de tempo. O seu médico monitorará regularmente sua condição para checar se o tratamento está surtindo o efeito desejável.

Não pare de tomar Galvus Met a menos que o seu médico diga para fazê-lo.

Se o médico solicitar a você para parar o tratamento por causa de problemas no fígado, você não deverá iniciar o tratamento com Galvus Met novamente.

Se você tiver dúvida sobre quanto tempo tomar Galvus Met, fale com o seu médico.

A duração do tratamento é conforme orientação médica.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer de tomar Galvus Met.

É aconselhável tomar seu medicamento no mesmo horário todos os dias. Se você esquecer de tomar Galvus Met, tome-o assim que se lembrar e tome a sua próxima dose no horário usual. Entretanto, se está quase no horário da próxima dose, não tome a dose esquecida. Não tome uma dose dobrada para compensar o comprimido esquecido.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Galvus Met pode apresentar algumas reações adversas em algumas pessoas. Alguns pacientes têm apresentado as seguintes reações adversas enquanto tomavam Galvus Met:

Algumas reações adversas podem ser graves:

Você deve parar de tomar Galvus Met e ir ao seu médico imediatamente se você sente os seguintes sintomas:

Frio, desconforto, dor muscular, sonolência, náusea ou vômito grave, dor abdominal, perda de peso inexplicável, tontura, batimento cardíaco irregular (palpitação) ou respiração ofegante (sintomas de acidose lática).

Rosto, língua ou garganta inchados, dificuldade de engolir, dificuldade de respiração, início repentino de lesões de pele ou urticária (sintomas de reações alérgicas graves chamadas “angioedema”).

Pele e olhos amarelados, náusea, perda de apetite ou urina escura com pouca coloração (possíveis sintomas de problemas hepáticos).

Dor de forte intensidade na região superior do abdome (sinal de possível inflamação no pâncreas).

Se você sentir qualquer um desses sintomas, fale com o seu médico imediatamente.

Algumas reações adversas muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Náusea, vômito, diarreia, dor abdominal, perda de apetite.

Se você sentir estes sintomas gravemente, informe o seu médico.

Algumas reações adversas comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Tontura, constipação, dor nas juntas, dor de cabeça, tremor involuntário, gosto metálico.

Se alguma dessas condições afetar você gravemente, fale com o seu médico.

Algumas reações adversas são incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Constipação, mãos, tornozelo ou pés inchados (edema).

Se algum destes sintomas afetar você gravemente, informe o seu médico.

Algumas reações adversas muito raras (ocorrem em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Vermelhidão na pele, coceira, diminuição no nível sanguíneo de vitamina B12, resultados anormais em alguns testes hepáticos.

Se alguma dessas condições afetar você gravemente, fale com o seu médico.

Outros efeitos colaterais

Prurido, descamação localizada da pele ou bolhas.

Se alguma dessas condições afetar você gravemente, fale com o seu médico.

Se você notar qualquer outra reação adversa não mencionada nessa bula, por favor, informe ao seu médico.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversas imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se você tomar acidentalmente muitos comprimidos ou se outra pessoa tomar o seu medicamento, fale com o seu médico imediatamente. Você pode precisar de cuidados médicos. Se possível, mostre ao médico o medicamento.

Sinais e sintomas:
Vildagliptina.

Em voluntários sadios (7 de 14 voluntários por grupo de tratamento), a vildagliptina foi administrada em doses únicas diárias de 25, 50, 100, 200, 400 e 600 mg por até 10 dias consecutivos. Doses de até 200 mg foram bem toleradas. Com 400 mg/dia, houve três casos de dor muscular e casos isolados de alteração de sensibilidade leve e transitória, febre, inchaço e aumento transitório nos níveis de lipase (2x ULN) que é uma enzima pancreática. Com 600 mg, um voluntário apresentou inchaço nos pés e mãos e aumento excessivo nos níveis de creatinina fosfoquinase (CPK) uma enzima muscular, acompanhado pela elevação da aspartato aminotransferase (AST) uma enzima hepática, proteína C-reativa e mioglobina. Nesse grupo, três voluntários adicionais apresentaram inchaço de ambos os pés, acompanhado de alteração de sensibilidade em dois casos. Todos os sintomas e anormalidades laboratoriais foram resolvidos após a descontinuação do fármaco estudado.

A vildagliptina não é removida por diálise, entretanto, o principal metabólito de hidrólise (LAY151) pode ser removido por hemodiálise.

Cloridrato de Metformina.

A superdose com o cloridrato de metformina tem ocorrido, incluindo a ingestão de quantidades maiores que 50 gramas. A hipoglicemia foi reportada em aproximadamente 10% dos casos, mas não foi estabelecida associação causal com o cloridrato de metformina. A acidose lática foi relatada em aproximadamente 32% dos casos de superdose com o cloridrato de metformina. O cloridrato de metformina é removido por diálise com uma depuração de até 170 mL/min sob boas condições hemodinâmicas. Dessa forma, a hemodiálise pode ser útil para a remoção do fármaco acumulado do paciente no qual se suspeita de superdose de cloridrato de metformina.

No caso de superdose, deve-se iniciar um tratamento de suporte apropriado de acordo com os sinais e sintomas clínicos do paciente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

MS – 1.0068.1059
Farm. Resp.: Virginia da Silva Giraldi - CRF-SP 15.779

Importado por:
Novartis Biociências S.A.
Av. Prof. Vicente Rao, 90 - São Paulo – SP

CNPJ: 56.994.502/0001-30
Indústria Brasileira.

Fabricado por: Novartis Pharma Stein AG, Stein, Suíça.
Embalado por: Novartis Pharma Stein AG, Stein, Suíça ou Konapharma AG, Pratteln, Suíça.

Venda sob prescrição médica.
TM = Marca depositada em nome de Novartis AG, Basileia, Suíça.

BPL 10.12.12.

2012-PSB/GLC-0593-s.

VP6
Esta bula foi aprovada pela Anvisa em 26/02/2013

 

Veja avaliações de quem já comprou