Regurgitação em bebês

Voltar

O que é?

A chamada regurgitação do bebê (refluxo fisiológico) acontece porque os órgãos do tubo digestivo da criança ainda estão em desenvolvimento, mesmo após o nascimento. Por isso, se o seu bebê regurgita um pouco, principalmente logo após a amamentação, não se preocupe. Essa é uma reação natural que costuma diminuir durante o primeiro ano de vida. “Deve ser destacado que 67% dos lactentes aos 4 meses de idade apresentam mais de uma regurgitação por dia. E aos 12 meses a frequência de lactentes com regurgitação diária é de 5%”, explica o Chefe do Departamento de Pediatria da Escola Paulista de Medicina, Dr. Mauro Batista de Morais.

Como amenizar o refluxo?

Durante esse período, você pode tomar algumas medidas que ajudam a aliviar ou evitar os desconfortos:

- Estabeleça intervalos regulares entre uma mamada e outra, e não exagere na quantidade de alimento.

- Durante a amamentação, faça com que o bebê coloque toda a aréola do peito dentro da boca. Assim, você evita que ele “engula” ar durante a mamada.

- Coloque o bebê para arrotar depois de cada mamada.

Após a amamentação, espere meia hora para deitar o bebê. A posição mais indicada pelo Dr. Mauro é a deitada de barriga para cima com a cabeça elevada. As posições de barriga para baixo ou de lado são contra indicadas, pois aumentam o risco de sufocamento. Outra dica é elevar um pouco o berço ou utilizar apoio de colchão para que o bebê durma em posição levemente inclinada.

Fique atentO aos sintomas

Mesmo que a regurgitação aconteça com boa parte dos bebês até um ano de idade, as mamães e papais devem sempre observar se há indícios de algo mais sério. Lembrando que é fundamental o acompanhamento de um profissional de saúde para que o seu bebê tenha um diagnóstico correto e um tratamento adequado para esse tipo de situação.

Existem 2 tipos de refluxo, o Gastroesofágico Fisiológico (RGE), que não apresenta risco à saúde do bebê, e a Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE), que pode ser acompanhada de vômitos, com a expulsão forçada do alimento no estômago, e outros sintomas.

No refluxo fisiológico, o Dr. Mauro Batista de Morais explica que o bebê pode regurgitar duas ou mais vezes por dia sem apresentar dor, náuseas, dificuldade em engolir o alimento ou déficit de crescimento. “Em lactentes saudáveis, com idade entre 3 semanas e 12 meses, a regurgitação obrigatoriamente inclui essas características”, complementa o pediatra.

Já os sintomas da Doença do Refluxo Gastroesofágico podem ser percebidos se seu filho parece sentir dor após as mamadas. Os principais sintomas são: vômitos, dificuldade para mamar, aumento na frequência de eructações e soluços, choro excessivo e irritabilidade, dificuldade para dormir, apneia e perda de peso. Se a criança apresenta alguns destes sintomas, é importante consultar um médico.

Fonte: www.danonebaby.com.br/ Voltar