Casos em mulheres,
homens e crianças.

A incontinência urinária na mulher

A incontinência pode se apresentar em qualquer momento da vida mulher, independente de sua idade, embora seja mais frequente em algumas fases. As perdas de urina podem se apresentar como pequenos gotejos, mas também em quantidades abundantes.

As infecções urinárias, gravidez, doenças neurodegenerativas e lesões medulares, entre outros, são algumas das causas que podem desencadear uma perda involuntária de urina.

Alguns outros fatores que explicam a alta incidência de incontinência em mulheres são:

Menopausa - Nessa fase, há uma diminuição importante dos estrógenos: hormônios necessários para manter a espessura das paredes da uretra.

Vários partos Nesses casos, pode ocorrer a perda de força nos músculos que servem de suporte, permitindo o rebaixamento da união entre uretra e bexiga, o que diminui a resistência normal à saída da urina.

A incontinência urinária no homem

A causa mais frequente da ocorrência de incontinência no homem é a obstrução da uretra como resultado de uma Hiperplasia Prostática Benigna (HPB).

O crescimento da próstata pode obstruir a uretra e fazer com que a bexiga se contraia, realizando mais esforço. Quando a bexiga chega ao limite da capacidade, torna-se instável, ou seja, contrai-se de forma automática sem que o indivíduo tenha controle sobre ela.

Porém, é importante levar em conta outras possíveis causas de incontinência que produzem perdas involuntárias de urina, tais como câncer de próstata, estreitamento uretral, contração do colo vesical, câncer da bexiga, disfunção neurogênica da bexiga, massas pélvicas e infecção do trato urinário

A incontinência urinária em crianças

A incontinência urinária em crianças pode ser diurna ou noturna e, ocasionalmente, pode ser associada a causas como infecções urinárias, contrações não inibidas e instabilidade da bexiga ou transtornos neurológicos da maturação do mecanismo da micção.

A presença dessa condição nas crianças com mais de 5 anos deve ser cuidadosamente avaliada pelo urologista, porque é importante descartar problemas associados ou possíveis malformações congênitas que, por vezes, podem ocorrer.