Dislipidemias

O que é colesterol? O que são triglicerídeos?

Colesterol e triglicerídeos são gorduras ou lipídeos, com estrutura e funções diferentes.

O colesterol (Figura 1) advém da dieta ou é produzido pelo próprio corpo, e tem funções vitais no corpo humano: faz parte das membranas de todas as células, é a base para a produção de todos os hormônios esteroides (testosterona, estrógeno, progesterona, vitamina D etc) e também faz parte da bile.

Os triglicerídeos (Figura 2) também são lipídeos, mas constituem basicamente uma forma de estoque de energia.

Por que existe um “bom colesterol” e um “mau colesterol”?

Tanto o colesterol quanto os triglicerídeos são gorduras, e por este motivo não podem ser transportadas no sangue livremente, uma vez que gorduras não se dissolvem na água. A saída que o corpo teve para resolver esse problema foi “empacotar” o colesterol e os triglicérides em micro-esferas de proteína. A esse complexo proteína lipídeo dá-se o nome de lipoproteína (Figura 3).

Há vários tipos de lipoproteínas, que diferem entre si pelo conteúdo relativo de colesterol e triglicerídeos, pelo tipo de proteína e pela densidade. Temos então VLDL (lipoproteína de densidade muito baixa), composta principalmente por triglicerídeos, com pequena quantidade de colesterol, e LDL (lipoproteína de densidade baixa) e HDL (lipoproteína de densidade alta) , ambas constituídas basicamente por colesterol.

LDL é o chamado “mau colesterol”, pois quando o LDL é muito alto, este colesterol pode se acumular nas artérias e levar ao processo de aterosclerose, que é o entupimento destes vasos por placas de colesterol, causando acidentes vasculares cerebrais (derrames) ou infartos. Quanto mais alto o colesterol LDL, maior o risco destas doenças. Dietas ricas em gorduras aumentam o colesterol LDL.

HDL é o chamado “bom colesterol”, pois representa o colesterol que estava nas células e não foi usado. Por este motivo, ele é transportado de volta ao fígado para ser eliminado. Quanto mais alto o colesterol HDL, menor o risco das doenças cardiovasculares. Exercício regular e dieta rica em azeite de oliva, frutas e vegetais aumentam o colesterol HDL. Cigarro diminui o colesterol HDL.

1. Estrutura do colesterol 2. Estrutura de um triglicerídeo 3. Estrutura de uma lipoproteína

É um problema comum?

Sim. Dados de 2008 da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que 39% dos adultos têm colesterol alto. Essa prevalência é maior na Europa (54%), seguido pelas Américas (48%), Ásia (29%) e África (22,6%).

Quais os tipos de dislipidemias?

As dislipidemias podem ser familiares ou adquiridas. Dislipidemias familiares se manifestam desde a infância com valores elevados de colesterol (hipercolesterolemia familiar) ou triglicérides (hipertrigliceridemia familiar). Estes pacientes têm um risco alto de desenvolver doença cardiovascular precoce (antes dos 40 anos de idade) e necessitam de tratamento desde muito cedo.

As dislipidemias adquiridas podem estar relacionadas a outras doenças (diabetes, obesidade, hipotireoidismo, doenças dos rins) ou ser uma manifestação de uma dieta e estilo de vida inadequados.

Diagnóstico e tratamento

O tratamento das dislipidemias é feito com medidas dietéticas, estímulo a atividade física e interrupção do tabagismo e com medicamentos específicos. O controle de doenças como diabetes e hipotireoidismo pode melhorar o perfil lipídico.

Dr. Daniel S. Freire Médico formado pela Faculdade de Medicina da USP, com especialização em Clínica Médica e Endocrinologia e Metabologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Doutor em Ciências pela Faculdade de Medicina da USP. CRM: 97368-SP

Referências

  • Global status report on noncommunicable diseases 2010: WHO Library Cataloguing-in-Publication Data; 2011.
  • Dyslipidemia (Hyperlipidemia). In: The Merck Manual. Internet edn.; 2013.