bannerTopHeader

Compre pelo telefone
(31) 3270-5000
0300 313 1010

Bota Imobilizadora M1 Mercur Curta Tamanho M 1 Unidade

07896342913268
Bota Imobilizadora M1 Mercur Curta Tamanho M 1 Unidade
Por: R$ 205,70ou
3x de R$ 68,56
sem juros
ComprarVendedor Araujo
+ Saiba Mais

GRP_INTEGRACAO

Possui Venda PermitidaS
FabricanteMercur
Informe Ministério Saúde 02-
Informe Ministério Saúde 04-
Informe Ministério Saúde 05-
Informe Ministério Saúde 08-
Informe Ministério Saúde 09-
Informe Ministério Saúde 01-
Informe Ministério Saúde 03-
Informe Ministério Saúde 06-
Informe Ministério Saúde 07-
Informe Ministério Saúde 10-

Saiba Mais

Saiba Mais

BOTA IMOBILIZADORA M1 MERCUR CURTA TAMANHO M

A Bota imobilizadora M1 é bilateral, podendo ser usada tanto no pé esquerdo quanto no direito.

A Bota imobilizadora M1 foi desenvolvida com o objetivo de auxiliar a reabilitação do usuário em casos de lesões nas regiões do pé, tornozelo e perna, minimizando as restrições relacionadas às atividades do dia a dia. O recurso cumpre sua função imobilizadora sem comprometer a autonomia da pessoa lesionada, proporcionando mobilidade e conforto através de tecnologias em quatro principais componentes: solado, palmilha, protetor de calcanhar e revestimento.

Características:
O tamanho adequado é conforme o comprimento do seu pé:

Tamanho M: de 24,5 a 27 cm

Altura do Cano:
Bota curta:

Tamanho M: 30,5 cm

Cor: Preta

COMPOSIÇÃO:
Estrutura, fechos aderentes, fivelas e rebites: poliamida.

Palmilha: borracha natural, borracha sintética, carga mineral, plastificante, agentes de vulcanização e expansão e pigmento.

Protetor do calcanhar e solado: EVA (etilvinilacetato).
Revestimento: poliéster.

Indicação:
Indicada para a imobilização ou o posicionamento adequado da articulação do tornozelo e/ou do pé, em casos de entorses, fraturas estáveis ou tratadas cirurgicamente, luxações e subluxações, ruptura do tendão do calcâneo (tendão de Aquiles), lesões de ligamentos (estiramentos ou rupturas), prevenção de deformações articulares da artrite reumatoide, complicações do pé diabético (artropatia de Charcot), uso pós-cirúrgico, posicionamento do pé após AVC ou outras lesões neurológicas (correção do pé equino) e substituição ao uso do gesso.

Modo de usar:
Primeiramente, solte todas as tiras de fechos aderentes e abra o revestimento interno.

Com a bota apoiada em uma superfície estável, posicione o pé e a perna dentro dela, certificando-se de que o calcanhar esteja encostado ao fundo da bota, e a planta do pé esteja totalmente apoiada na palmilha.

Com o tornozelo em 90° e com as hastes da bota posicionadas nas laterais da perna, feche primeiro o revestimento através dos fechos aderentes e em seguida as tiras da bota, iniciando o fechamento pela tira que se encontra sobre o tornozelo e depois feche as demais.

Após, ajuste conforme necessário para garantir uma imobilização segura e ao mesmo tempo confortável.

Se o ajuste for pouco apertado, causará possibilidade de micromovimentos. Se for muito apertado, pode causar obstrução circulatória e dificultar a circulação sanguínea.

Para retirar a bota: apoie a bota em uma superfície estável e, em seguida, solte as tiras de fecho aderente da bota, iniciando pelas faixas mais distantes do tornozelo.

Após, abra o revestimento e retire o pé e a perna.

 

Vídeos

Vídeoshttps://youtu.be/xCG5a-zmx34

GRP_INTEGRACAO

Possui Venda PermitidaS
FabricanteMercur
Informe Ministério Saúde 02-
Informe Ministério Saúde 04-
Informe Ministério Saúde 05-
Informe Ministério Saúde 08-
Informe Ministério Saúde 09-
Informe Ministério Saúde 01-
Informe Ministério Saúde 03-
Informe Ministério Saúde 06-
Informe Ministério Saúde 07-
Informe Ministério Saúde 10-

Saiba Mais

Saiba Mais

BOTA IMOBILIZADORA M1 MERCUR CURTA TAMANHO M

A Bota imobilizadora M1 é bilateral, podendo ser usada tanto no pé esquerdo quanto no direito.

A Bota imobilizadora M1 foi desenvolvida com o objetivo de auxiliar a reabilitação do usuário em casos de lesões nas regiões do pé, tornozelo e perna, minimizando as restrições relacionadas às atividades do dia a dia. O recurso cumpre sua função imobilizadora sem comprometer a autonomia da pessoa lesionada, proporcionando mobilidade e conforto através de tecnologias em quatro principais componentes: solado, palmilha, protetor de calcanhar e revestimento.

Características:
O tamanho adequado é conforme o comprimento do seu pé:

Tamanho M: de 24,5 a 27 cm

Altura do Cano:
Bota curta:

Tamanho M: 30,5 cm

Cor: Preta

COMPOSIÇÃO:
Estrutura, fechos aderentes, fivelas e rebites: poliamida.

Palmilha: borracha natural, borracha sintética, carga mineral, plastificante, agentes de vulcanização e expansão e pigmento.

Protetor do calcanhar e solado: EVA (etilvinilacetato).
Revestimento: poliéster.

Indicação:
Indicada para a imobilização ou o posicionamento adequado da articulação do tornozelo e/ou do pé, em casos de entorses, fraturas estáveis ou tratadas cirurgicamente, luxações e subluxações, ruptura do tendão do calcâneo (tendão de Aquiles), lesões de ligamentos (estiramentos ou rupturas), prevenção de deformações articulares da artrite reumatoide, complicações do pé diabético (artropatia de Charcot), uso pós-cirúrgico, posicionamento do pé após AVC ou outras lesões neurológicas (correção do pé equino) e substituição ao uso do gesso.

Modo de usar:
Primeiramente, solte todas as tiras de fechos aderentes e abra o revestimento interno.

Com a bota apoiada em uma superfície estável, posicione o pé e a perna dentro dela, certificando-se de que o calcanhar esteja encostado ao fundo da bota, e a planta do pé esteja totalmente apoiada na palmilha.

Com o tornozelo em 90° e com as hastes da bota posicionadas nas laterais da perna, feche primeiro o revestimento através dos fechos aderentes e em seguida as tiras da bota, iniciando o fechamento pela tira que se encontra sobre o tornozelo e depois feche as demais.

Após, ajuste conforme necessário para garantir uma imobilização segura e ao mesmo tempo confortável.

Se o ajuste for pouco apertado, causará possibilidade de micromovimentos. Se for muito apertado, pode causar obstrução circulatória e dificultar a circulação sanguínea.

Para retirar a bota: apoie a bota em uma superfície estável e, em seguida, solte as tiras de fecho aderente da bota, iniciando pelas faixas mais distantes do tornozelo.

Após, abra o revestimento e retire o pé e a perna.

 

Vídeos

Vídeoshttps://youtu.be/xCG5a-zmx34

Veja avaliações de quem já comprou